INTEMPESTIVO

Tomo Coca-Cola com café,
A mãe do Red Bull com wisk.
Inspira-me à reviravolta do desatinado juízo,
Soltando o incrédulo súdito do tempo,
Este meu outro eu mais realista.

Nelci Nunes - O Falador.

quinta-feira, 9 de maio de 2013

ENCENAÇÃO PUERIL, 1968.



ENCENAÇÃO PUERIL, 1968.

                                       Nelci Nunes - O Falador.

Enfim, está morta.
Passada de abandono, de tanta ira,
De tudo quanto detestara.
Amofinou de qualquer jeito, largada.
Evapora veloz, sabe para onde? ... Não ajuíza!
Nunca marejou alguma protelada importância...
Em qual mundico vivia penando em fúteis risadas?
Falida, vai sem rumo, ausente de filosofia pra se agarrar.
Voou solitária, quem jurava ir junto, mentiu.
Nada quis encontrar no eterno imaginário.
A fisionomia horrenda era a que eu, escondido amei.
Sim, este rico, infinitamente pobre, miserável, fui eu;
Muitas vezes por ela, desprezado.
Tudo que possuía veio à custa de crediário.
Caminhava entre mobiliário antigo, mal cheiroso.
Sob chuva, ao anoitecer, na fila, farmácia do governo, rogou abrando.
Vou salgar anúncio no jornal, a cidade deverá inútil, saber...
Definhou aos poucos, solitária, desprezando formalidades.
Deposito vergonhoso, rosas neste chão sapeado, de lápide ausente.


Nenhum comentário:

Postar um comentário