INTEMPESTIVO

Tomo Coca-Cola com café,
A mãe do Red Bull com wisk.
Inspira-me à reviravolta do desatinado juízo,
Soltando o incrédulo súdito do tempo,
Este meu outro eu mais realista.

Nelci Nunes - O Falador.

terça-feira, 7 de maio de 2013

INSÔNIA




INSÔNIA

                                                           Nelci Nunes – O Falador.

Doem os dedos,
As unhas estão roídas,
A fome é assustadora,
Enquanto o estômago queima célebre,
Na tentativa de enganar o cérebro.

Há, sempre,
O inevitável cansaço,
O coração pulsando na garganta,
A dor abdominal, o abafamento em horas dadas,
De rotineira, não incomoda mais.

Conto os dias,
Tardias lembranças, muitos se foram...
Todos passam atropelando as horas.
Ano puxando ano, silenciosamente.
Ninguém percebe o sabor de cada tormenta.

Vem o sono diurno,
Da insônia, inimiga das acertadas horas.
A implacável vontade de ficar só,
Ter como amigo apenas o silêncio,
Ocultado na artificial escuridão do quarto.

Se tivesse força, fugia...
Onde houvesse prazer, iria!
Excesso de desejo para solitário divertimento.
Apenas sei que o medo ainda é maior.
Ó carniças, todos querem escapar, mas não podem...

Nenhum comentário:

Postar um comentário