INTEMPESTIVO

Tomo Coca-Cola com café,
A mãe do Red Bull com wisk.
Inspira-me à reviravolta do desatinado juízo,
Soltando o incrédulo súdito do tempo,
Este meu outro eu mais realista.

Nelci Nunes - O Falador.

domingo, 16 de junho de 2013

CORDIALIDADE OU POEMA SEM FIM - Nelci Nunes - O Falador.



CORDIALIDADE
OU POEMA SEM FIM

              Nelci Nunes - O Falador.

                                [Muitos deles já se foram,
                                 mas a história fica...]

É com o usual préstimo,
De muita estima que envio,
O meu caloroso abraço ao,
Ilustríssimo senhor...
                   Fernando Collor de Melo,
                   Do qual sou incontestável fã.
                   Ao meu querido,
          Salvatore Cacciola.
                   À estimada Jorgina de Freitas,
                   Pessoa da minha extremada confiança.
                   D. Ana Accioli,
                   É imensa a saudade que tenho de ti.
                   Paulo Salim Maluf, MEU HERÓI.
                   Nobre amigo de horas incertas,
E tão injustiçado!

Aos admiráveis,
Nicolau dos Santos Neto,
Hildebrando Pascoal,
Jader Barbalho,
Ao maravilho casal,
Celso e Nicéia Pita,
Que pessoas maravilhosas!

                   Confesso esta saudade inenarrável,
                   Que sem escusas arrebenta-me o peito,
                   E desculpo-me pela pobreza e indelicadeza,
                   De não ir pessoalmente levar-lhe o meu afeto,
                   Mas tu sabes quão verdadeiro é o meu sofrer.
                   No entanto, mesmo atrasado,
                   Receba este grande sentimento de amizade,
                   De esmerada cordialidade,
                   Senhor Antônio Carlos Magalhães...
                   

Desejo que este voto,
Estenda-se ao Luiz Estevão,
Venturoso ser.
Antes que eu esqueça,
Votos de felicidade,
Ao ilustre Sérgio Naia,
Um brinde!
Em taças de cristal Bacará,
Coisa mimosa de ricos é claro.
Se não for pedir muito,
Felicitem o pessoal do SIVAM,
Da ENCOL, do MARKA,
Do BANESPA, do BANCO SANTOS,
Olá senhor Flávio Mendonça de Barros!

         Enquanto isso dou um pulinho,
         Até a rede SOMAR, COBAL, ABC...
         Quem sabe consigo alimentar-me um pouco melhor.
         Preciso muito daqueles complementos na sopa de feijão,
         Vitaminas da sopa cor de rosa, nutrientes distribuídos pela LBA.

Um caloroso abraço para D. Rosane Collor,
Dizem que tem uma imensa coleção de calcinhas,
Todas de mui apurado luxo e bom gosto.
Estendo este gesto ao senhor Newton Cardoso,
Dizem que tem uma imensa coleção de fazendas,
Tudo, fruto do seu árduo e infatigável trabalho.

                   Aqui vai belo cartão,
                   Ao senhor Eduardo Azeredo,
                   E flores a senhora Solange Vieira,
                   Competente e ágil secretária.
                   Em tempo...
                   Solto foguetes e vivas aos ilustres,
                   Roberto Jefferson, José Genoíno,
                   Delúbio Soares, José Dirceu,
Aos honestíssimos Marcos Valério,
E Severino Cavalcanti, outro injustiçado.
Onde estiver, saudades eternas!
Havendo alguém mais próximo do que eu,
Com um pouco mais de dinheiro disponível,
Deposite nos túmulos dos meus amigos,
Paulo Cezar Farias e Suzane Marcolino,
Maravilhoso buquê de flores.

Caso tenha esquecido alguém,
Neste cordial gesto de abraçar,
Deixo aqui espaço suficiente,
Para você também enviar o seu:

         (...“                             ”...)

         Que o IBAMA cuide da nossa fauna,

         Salvando da extinção o ilustre tamanduá.

Nenhum comentário:

Postar um comentário