INTEMPESTIVO

Tomo Coca-Cola com café,
A mãe do Red Bull com wisk.
Inspira-me à reviravolta do desatinado juízo,
Soltando o incrédulo súdito do tempo,
Este meu outro eu mais realista.

Nelci Nunes - O Falador.

quinta-feira, 6 de junho de 2013

VOZ - Nelci Nunes - O Falador.



VOZ
Nelci Nunes - O Falador.

Ando impar pela estrada do meu ser...
O verde manto do tempo sempre renasce
A ilusão que tenho nos olhos.

Avulta na mente o verso sem nenhuma resposta,
Ouço a voz em solilóquio; ela não me ouve.
Determinada, impõe o que te não ousaria dizê-lo.

Este mutante e passageiro tempo,
Sempre deseja enaltecer o que diz a voz.
Eu escuto o vento, ela parece chamá-lo.

Foge-me a voz depois de cessar a caminhada,
Porque é breve, repentino e agitado o sono;
Arrastado por sombras de recônditas paredes.

A voz se oculta mais real do que imagino,
Ela sobrepensa-me apenas quando deseja;
De ateneu em ateneu prova emoções...

Obscura voz, amiga inseparável do tempo,
Apenas o som renitente da chuva a faz repousar.
Em inesperadas horas a ouço falando consigo mesma.

Ela vive em meu ser; explorando lugares onde nunca fui.
O seu vale de segredos é intransponível.
Voz amena, crível, sonhada e mal sentida.

Tento ouvir essa voz e fico extasiado...
Ela deixa-me, feita o vento; alça repentino vôo.
Solaz, em frívola viagem, busco-a em meus pensamentos.

Sinto esta longínqua voz redirecionar a minha vida.
Ontem a porta era a saída do meu inefável destino...

E se não ouço essa voz; ela, quando quer, vem ditar-me o caminho.

Nenhum comentário:

Postar um comentário